28 dezembro 2011

Infarmed manda recolher do mercado implantes mamários da marca francesa PIP

Meninas,
Tendo em conta as recentes notícias sobre este tema, e que em Portugal cerca de 3% de todas as próteses mamárias implantadas são da marca PIP (estimando-se que 1500 a 2000 portuguesas tenham estas próteses implantadas), republiquei este post e acrescento o comunicado da DGS:



  1. O INFARMED ordenou a suspensão e recolha do mercado de todos os lotes dos implantes mamários da marca PIP, em 31/03/2010 (Circular Informativa nº 63/CD do INFARMED);
  2. Em Portugal, até ao momento, não foram reportados, formalmente, problemas com estes implantes;
  3. Considerando os dados disponíveis até ao momento, não é possível estabelecer relação causal entre a utilização das próteses da marca PIP e o desenvolvimento de patologia oncológica, motivo pelo qual as recomendações são tomadas à luz do princípio da precaução.
Nesse sentido a DGS recomenda:
  1. Todas as mulheres com implantes mamários de silicone pré-cheios do fabricante Poly Implant Prothese (PIP) realizados entre 2001 e março de 2010 efetuem exames de imagem para controlo da integridade das referidas próteses;
  2. Notificação sistemática de reações adversas e incidentes relacionados com os implantes PIP, que devem ser reportados para:
    INFARMED, Unidade de Vigilância de Produtos de Saúde/Direção de Produtos de Saúde, Parque da Saúde de Lisboa, Av. Do Brasil, 53, Pav. 17 A
    1749-004 Lisboa
    E-mail: dvps@infarmed.pt
    Telef: 217987145


-------------------------------------------------------------------------------------------------------


A autoridade nacional do medicamento mandou suspender e retirar do mercado todos os lotes dos implantes mamários de silicone pré-cheios do fabricante francês Poly Implant Prothese, depois de um alerta das autoridades francesas sobre incidentes com este dispositivo.

A suspensão destes implantes deveu-se ao facto de, nos últimos três anos, a associação de medicamentos francesa AFSSAPS ter verificado um aumento no número de incidentes com este dispositivo médico, que consistiu numa rutura das próteses e complicações locais, necessitando, na sua maioria, de uma nova intervenção cirúrgica para a sua remoção.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), Carlos Pires, informou que, desde 2002, foram comercializados em Portugal 3017 dispositivos desta marca.

No caso das mulheres que já tenham feito implantes, o INFARMED revela que “não existem razões que justifiquem a retirada e substituição preventivas das próteses, a não ser que uma ruptura efectiva seja identificada.

“As mulheres a quem foi implantado deverão solicitar ao seu médico ou cirurgião assistente informação sobre a necessidade da realização de um exame adaptado ao seu caso e o acompanhamento da sua situação”, adianta Carlos Pires, alertando para o facto de as situações de ruptura só serem geralmente detectadas após exame médico, pelo que é fundamental a opinião do clínico.

A realização de uma ecografia semestral/anual com objectivo de identificar eventuais situações de ruptura das próteses é outra das recomendações feitas pelo INFARMED.

“Os riscos para a saúde associados aos dispositivos abrangidos não diferem qualitativamente dos riscos normalmente associados aos implantes mamários em geral, apresentando, no entanto, um padrão de ocorrência superior ao normal”, acrescenta Carlos Pires.


mais no site: http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARMED/MAIS_ALERTAS/ALERTAS_DE_SEGURANCA/Tab/Implantes%20mam%E1rios%20de%20silicone%20pr%E9-cheios%20do%20fabricante%20Poly%20Implant%20Prothese
ou em: http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/a+saude+em+portugal/noticias/implantes+mamarios.htm


Os implantes mamários mandados retirar do mercado por risco de ruptura estavam a ser utilizados em alguns hospitais públicos. Vítor Fernandes, presidente do colégio de cirurgia plástica da Ordem dos Médicos, diz que "os implantes de silicone da Poly Implant Prothese foram pelo menos usados nos Hospitais Universitários de Coimbra ou Hospital da Prelada", refere, citando fontes do mercado. "Os médicos não têm confiança na marca. Não percebo como é que os hospitais públicos não têm mais cuidado com o que adquirem", lamenta.

A suspensão e retirada desta marca francesa - que terá uma quota de 2% a 3% - foram anunciadas há dois dias pelo Infarmed, após as autoridades francesas terem alertado para a subida de incidentes relacionados com a ruptura de próteses e complicações locais. No País foram postos 3017 desde 2002 (200 a 300 pares em 2009), afectando pelo menos 1500 mulheres.

O número de implantes realizados no País é uma incógnita, sobretudo em privados. No Serviço Nacional de Saúde (SNS), os hospitais farão "cerca de 500 cirurgias por ano, sobretudo em unidades como os IPO, Santa Maria, São João, HUC, São José ou Egas Moniz", estima o presidente da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica, Celso Cruzeiro, que operam acima de 50 casos/ano. As próteses têm sido mais colocadas em doentes com cancro da mama, que tiveram de fazer cirurgia de reconstrução após mastectomia.

Angélica Almeida, directora do serviço do Hospital de São José, refere que os hospitais não podem fazer cirurgias de aumento mamário, mas os implantes podem ainda ser colocados em casos como "doenças congénitas com ausência da mama e em assimetrias". Mas as cirurgias nem sempre estão dependentes deste tipo de próteses, já "que podem ser usados enxertos da própria doente ou outro tipo de material".



Apesar de fontes do sector referirem que esta unidade comprou implantes à empresa francesa, a médica garante que nunca usou esta marca, "porque já conhecia casos de ruptura do material noutros países". Celso Cruzeiro, dos HUC, admite que os implantes franceses "foram usados na unidade, mas em menor percentagem".

Se os HUC e o São José fazem 50 operações por ano, Santa Maria supera esse número , embora "não use esta marca", garante Caneira da Silva, que dirige o serviço. No Hospital de São João, que faz cerca de cem cirurgias, "usamos uma marca americana. A outra usa uma tecnologia mais antiga, por isso, o silicone pode espalhar-se.

Com as novas isso não acontece", garante José Amarante, director do serviço de cirurgia plástica.
Vítor Fernandes refere que "todos os anos há cerca de seis queixas à Ordem dos Médicos relacionadas com implantes mamários". Em nenhum caso estiveram relacionadas com esta marca. "Um deles até vai a tribunal agora, precisamente devido a uma ruptura", diz.

Os implantes suspensos eram comercializados pela distribuidora JMV Produtos Hospitalares, que até à hora do fecho da edição se mostrou incontactável, assim como a empresa francesa. Em causa está o uso de um gel de silicone para enchimento dos implantes, que não estava de acordo com as directivas comunitárias. "O problema não é a gravidade da questão", desdramatiza fonte do Infarmed, "mas sim o aumento do risco".

O cirurgião plástico Francisco Ibérico Nogueira confirma que estes casos podem ser resultado de "defeitos de fabrico de lotes" e aconselha as mulheres que os colocaram a marcar consulta para verificar se não haverá risco de ruptura do implante.

"Mas estes casos são raros. Eu pessoalmente não tenho tido muitos", explica. "O primeiro passo é verificar o cartão de identidade da prótese e ver se o implante em causa constava desse lote.

Se isso acontecer, deve fazer-se um exame, seja uma ecografia ou uma mamografia, com observação mais detalhada para confirmar se a silicone passou para o exterior da prótese".

Já Biscaia Fraga considera os casos "dramáticos" e aconselha a observação detalhada como forma de prevenção e a realização de um exame - ecografia mamária - de forma a verificar se não há "moléculas de silicone no sistema linfático, renal ou hepático" ou se há "uma inflamação local". No caso mais grave, o médico aponta que a cirurgia é a única solução.

34 comentários:

petra disse...

Ola, eu coloquei 300cc na clinica sanfil, as minhas proteses sao francesas...sabes se houver rompimento das proteses a quem fica responsavel por colocar umas novas? Eu paguei pelas proteses, nao tenho culpa de serem fraudolentas, se romper serei obrigada a pagar uma nova cirurgia?

bjs

Petra

Anónimo disse...

Boa noite

Gostaria só de mencionar que nos Links úteis aparece Silimed - Próteses; contudo somos direccionados para um site de outra marca (Polytech)...

Ana

Anónimo disse...

A todas as mulheres que puseram implantes com o Dr. CARLOS PIRES (clinica todos-os-santos). ATENÇÃO este medico usou as PIP sistematicamente as suas pacientes pelo menos entre 2003 e 2006. Na altura quando coloquei, nao me foi dada opcao de escolha por outra marca, estou escandalizada de saber que este medico foi pela escolha mais barata (pois estas próteses eram as mais baratas do mercado) para fazer mais lucro, pois eu paguei quase 6000 euros para colocar implantes que me podiam ter dado problemas DRAMATICOS. Por favor lêem todos os testemunhos de mulheres no mundo inteiro e das consequências tristes que as P.I.P lhes deram. Felizmente, as minhas proteses foram substituidas e nao havia rompimento mas tambem podia ter sido mais uma victima, mais dia menos dia....
Eu nao vou deixar as coisas por aqui, penso que o mínimo era o dr pegar no seu ficheiro de pacientes e ligar a todas para alertar dos riscos e aconselhar a remoção das mesmas a custo mínimo. Assim e que se assumem responsabilidades!!
Em vez disso, so descobri que tinha P.I.P quando fui re-operada por outro medico (em Leiria, doctor maravilhoso), ele guardo-as e quando virei-as qual foi a minha surpresa em ver que eram PIP!
Por favor, sejam atentas, a vossa saúde vem sempre em primeiro lugar!

Anónimo disse...

Não sabia até há 2 dias que tipo de próteses mamárias tinha. PIP! Fui operada na Clinica de todos-os-santos pelo Dr. Carlos Pires. Na altura apenas me perguntou qual o tamanho que eu queria.
Eu não fiz a operação por uma questão estética, mas médica. Tive um cancro no peito direito e mais tarde começou por aparecer uma mancha na mama esquerda, pelo que decidi tirar tudo.
Há 8 anos que ando com gel industrial no peito. No ano seguinte a ter posto as próteses, comecei com dores horríveis nas costelas, dores essas na zona envolvente e por baixo das próteses. Eram/são de tal forma fortes, que nem sentada conseguia estar. Fiz todo o tipo de exames, até um PET pois suspeitaram de metásteses. O último diagnóstico foi de Síndrome de Tietze.
Ou seja, devo andar com uma infecção nas costelas há 7 anos e ninguém conseguiu diagnosticar.
Vou recomeçar a fazer exames em Janeiro e vou levar a tribunal todos os responsáveis por esta borrada. A começar pelo Infarmed e DGS, entidades responsáveis que deveriam ter testado as próteses e não o fizeram. O importador que é tão conivente como o fabricante. A clínica e o médico cirurgião pois até hoje nada me disseram para resolver esta situação.
Temos pena, mas eu não vou pagar uma cirurgia sem ter culpa alguma da incompetência dos outros.

Isa disse...

Olá a todas
Eu fui operada pelo Dr. Celso Cruzeiro na Sanfil e descobri que as minhas próteses também são PIP...
Alguma de vocês sabe quem se deve responsabilizar pela substituição das próteses??
Também eu paguei pelas próteses e acho ridículo ser obrigada a pagar uma nova cirurgia! Isto claro porque não tenciono continuar com nenhum tipo de material no meu corpo que me possa ser nocivo de futuro...

Bjs

Anónimo disse...

Olá a todas, descobri este blog recentemente e decidi vir aqui deixar o meu testemunho.
Eu fiz uma mamoplastia de aumento em Março de 2009. Possuía uma assimetria no peito, para alem de ser extremamente pequeno. Nessa altura confiei no médico, que não me deu opção de escolha quanto ao tamanho e via de acesso, que neste caso foi inframamaria. Tudo correu dentro da normalidade, tirando as fortes dores que tive durante uma semana, embora tivesse colocado as prótesses por cima do músculo. Até 6 meses de pós operatorio tudo parecia decorrer dentro da normalidade. Porém quando contacto a clinica para marcar consulta de seguimento, sou informada de que o cirurgião já não se encontra na clinica nem no país. Fiquei apreensiva e bastante aborrecida com a situação. Fui então consultada por um cirurgião substituto. E é aqui que sou informada de que as protesses que possuía eram da marca PIP. Fiquei com bastante medo mas a situação foi desvalorizada e passei a realizar ecografias mamárias de 6 em 6 meses. Para além disso o meu peito nao ficou de todo simétrico, tendo um mamilo virado para cima e outro normal. As próteses eram de 150ml e de 230ml, uma diferença enorme que me deixou novamente com um peito maior que o outro.
Em Novembro passado surge a noticia da morte de uma mulher, devida supostamente a estes implantes. Foi o suficiente para ficar em pânico e decidir procurar um outro cirurgião para proceder À substituição das próteses. Foi-me indicado o Dr.Edgardo Malheiro e posso dizer que adorei a consulta com ele e decidi fazer a cirurgia. Fui operada então pela segunda vez no passado dia 23 de Dezembro e tudo correu pelo melhor. O pós operatório foi muito mais facil mesmo com drenos, que nao tive na outra cirurgia. Hoje passados 10 dias da cirurgia estou praticamente recuperada, só com algum inchaço.
Embora tenha corrido tudo bem, continuo bastante revoltada pois tive de pagar por duas cirurgias devido à incompetência de quem fiscaliza estas situações. Mesmo já tenho realizado a cirurgia de substituição, pretendo confrontar a anterior clinica, a fim de apurar responsabilidades. É psicologicamente uma situação complicada, mas pelo menos ja nao tenho material duvidoso dentro de mim. Qualquer coisa disponham!
Beijinho
Bárbara

Anónimo disse...

A silimed resolve substituir próteses de silicone de poliuretano, porem nao as texturizadas nos casos de contratura capsular...alguém saberia dizer o porque! já que os motivos de encapsulamento sempre tiveram o legado de serem uma rejeição do organismo e não da prótese...então teríamos que a silimed vende silicone que pode encapsular e daí não dão garantia, bem como prótese de silicone que não encapsula, quais sejam: as que tem garantia... Dúvida de consumidora

Anónimo disse...

Sou a anónima que colocou o comentário no dia 24/12 às 5:26.
Gostaria de informar que hoje, dia 4 de Janeiro fui contactada telefónicamente pelo Dr. Carlos Pires, para me comunicar que deveria retirar os implantes mamários que tenho da marca PIP e substituí-los por outros. Vou fazer uma série de exames médicos antes de o fazer, para aferir o que se passa nas minhas costelas. Assim sendo, retiro o que disse relativamente à ausência de preocupação por parte do cirurgião e da clínica.

Anónimo disse...

Olá.
Fiz mamoplastia de aumento em 2007 no Hospital da Prelada. Tudo correu bem, o pós-operatório não custou nada, o resultado ficou magnífico, tudo valeu a pena. Nunca pensei foi vir a passar esta ansiedade por causa destas última notícias...As minhas também são PIP...Por favor vão postando actualizações...Também tenho medo.E claro que se tiver de passar por tudo outra vez não acho certo ser eu a pagar porque fiz tudo privado e não tenho culpa desta confusão! Só quero que fique tudo bem.

Anónimo disse...

Até agora não existe relação de prótesesPIP e qualquer patologia. O que acontece é uma maior ruptura das próteses e o extravasamento do gel que pode causar irritação inflamação e desconforto. A recomendações da DGS continuam a ser de consultar o seu médico e vigiar. A troca deve ser considerada após consulta com o seu cirurgião

Anónimo disse...

olá,fiz a minha cirugia mamaria no hospital da prelada em 2009 e sao da marca PIP.como todas tambem eu estou preocupada e muito triste. os meus dias tem sido um pesadelo sempre a ver o noticiario a esperança que em portugal mandem remover os implantes. mas ando surprendida pois so falam nos casos estrangeiros e do hospital de coimbra. e da prelada ninguem diz nada? dos privados ninguem fala? porquê?... porquê...quero remover os meus e colocar outros mas ja paguei e nao foi pouco foram anos a juntar dinheiro para realizar um sonho e agora? tem que ser a minha custa um erro que nao é meu? desculpem o desabafo mas penso que somos muitas nesta situaçao.

Purple Butterfly disse...

Olá
na minha opinião o único responsável por esta situação em Portugal é o Infarmed que aprovou estas próteses como sendo dispositivos médicos adequados a serem utilizados. Desconheço se esta entidade realizou os testes necessários antes de avançar com a aprovação das próteses, mas o que é facto é que os materiais que aprovaram são prejudiciais à saúde e como tal o Infarmed deverá responsabilizar-se!
Na minha opinião, devem pedir a responsabilização ao Infarmed. Escrevam cartas, e-mails, deixem aqui no blog os vossos testemunhos.
Quantas mais pessoas se manifestarem e mostrarem que exigem ver alguém a assumir as responsabilidades, mais fácil será para todas.
Contem com o meu apoio para divulgar os vossos casos.
Espero sinceramente que tudo se resolva...
Bjinhos p todas

Anónimo disse...

Boa tarde Meninas,


Estou aqui novamente.. Desde de sexta passada que não sei o que é dormir..Tem sido um pesadelo, até sonho com isto tudo .. Revolta-me tamanha passividade por parte dos responsáveis pela opção de tal marcas, ontem tive todo o dia em exames, aguardo resultados para seguir com a retirada das minhas próteses mamárias, já nem sei como deitar a noite, tenho medo de qualquer gesto mais brusco..Psicológicamente estou de rastos, colocar a próteses foi um sonho antigo e uma econômia de anos.. Fiz tudo em privado e tive de vencer o meu medo de agulhas e anestesias em nome de uma lufada de ar fresco na minha auto-estima.. Acho cruel, mas neste momento o que desejo é retirar urgentemente essa bomba relógio, não sei mais o que é ter tranquilidade, não há dinheiro que pague tal estado.. Tenho ligado para o meu cirurgião para avançar o quanto antes com a cirurgia de explante, noto que o mesmo está com outra postura.. Parece chateado comigo, mas onde estamos ?? Fui eu a enganada e sou eu que tenho dentro do meu corpo essa "bomba relógio". SINTO-ME COMPLETAMENTE PERDIDA !!

Anónimo disse...

olá, boa noite...
aqui estou eu, mais uma mulher que colocou implantes nas mamas...e qual não é o meu espanto, indignação, revolta e outras coisas que nem interessam para aqui...
São da marca P.I.P!!!....
Resolvi que são para remover, também não estou bem sabendo o que sabemos e tal vez o que nem sabemos, sobre a falta de qualidade e toxicidade deste material que nos implantaram.
Estou como algumas de vós a considerar uma INJUSTIÇA que para além do trauma de passar por uma nova cirurgia que não estava nos meus planos, quer financeiramente quer psicologicamente, ainda tenhamos que suportar o custo da cirurgia, mesmo que nos digam que o preço ao só da próteses novas!! 1100 euros, parece-me demais, só para as próteses, e estas que garantia vão ter???quantos anos duram?
Considero que devemos unir-nos, e vir a publico fazer algo para que se fale de quem fez a cirurgia no privado! Pagamos temos direitos! é a nossa saúde que está em jogo... Tb ME SINTO PERDIDA!

petty disse...

Ola tambem coloquei as proteses PIP e sinto-me indignada com a passividade de Portugal quanto a este assunto. Alemana e França ja mandaram as mulheres retirarem as proteses, pagando o custo da retirada, assim como pagam para a colocação de umas novas, contudo apenas para as mulheres k colocaram em caso de doença. Acho k deviamos fazer o mesmo k as francesas, brasileiras e alemas e avançar com um processo judicial...

Anónimo disse...

ola a todas novamente. esctrevi no dia 8. como todas as mulheres nesta situaçao tambem ando alterada e nada no meu dia a dia é como dantes. como disse a penultina anonima o meu medico tambem pouco ligou e ignorou o caso diz que é mais especulaçao do que outra coisa. nao o vejo a querer retirar e a colocar outros. por esse motivo procurei outra alternativa, fui a clinica luso espanhola e pedi outra opiniao. agradou-me o facto de estarem a fazer uma campanha para quem tem pip de retirar e colocar outras pelo valor de 3.000.00€ o que a preço normal lá é 5.000.00€. estou a pensar perder o amor ao dinheiro e com muito custo mas com consciencia fazer tudo para la operar. isto porque a remoçao gratuita nao vai existir para quem faz no privado alem de que se levar o caso para a frente vai demorar e eu ja nao aguento tal angustia. boa sorte a todas.

Anónimo disse...

Olá meninas,

Não podemos esperar mais para remover esta COISA do nosso corpo, eu também sinto-me REVOLTADA E PERDIDA, coisas básicas do meu dia a dia já não funcionam... Realizei todos os exames e para minha SORTE, as próteses estão INTACTAS, serei submetida ao EXPLANTE dentro de uma semana, ando muito nervosa, choro por tudo e por nada, não consigo dormir.. Nada pode pagar por este ESTADO DE PÂNICO !! Só ficarei mais descansada quando tirar ESTA COISA !! Também terei de pagar pela remoção e substituição, anteriormente pensei em não voltar a implantar, mas isto também causaria um transtorno muito grande,não tenho a culpa de ter comprado gato por lebre!! Farei um grande esforço financeiro pra pagar nova cirurgia, mas posteriormente entrarei com uma ação contra os responsáveis por tudo isto, peço-vos que tratem o quanto antes do explante, não podem esperar mais !! Depois apurem tudo isto, mas primeiro garantam a vossa SAÚDE !! Acho que deveríamos unir forças para resolver esta situação, juntas teremos mais chances. Um beijinho muito solidário à todas . DEUS nos proteja !!

Anónimo disse...

Olá novamente,


Acabei de obter uma informação de um amigo que é advogado, o mesmo disse-me para reunir todas as provas possíveis sobre este processo bizarro.. Resolvi partilhar com todas vocês pois será muito importante para futuros processos judiciais, temos o direito de pedir as próteses que serão removidas e também cartão de controle de cirurgia, aquela espécie de passaporte que nos é entregue com a marca do implante,clínica,cirurgião responsável, data,etc. Não podemos deixar por menos !! Neste momento todas nós vive um "INFERNO" diário.Algumas até já foram contaminadas com a ruptura do implante. Certamente não há dinheiro que pague tais danos, psicológicos e físicos.. Lutar pelos nossos direitos é o mínimo !! Beijinhos

Anónimo disse...

Caras senhoras,

Estou neste momento a efectuar uma reportagem sobre implantes mamários e procuro alguém que tenha colocado PIP e esteja disposta a falar nem que seja de forma anónima.

Para quem estiver interessado contactar através de vialvito@recordeuropa.com

Obrigado

monica disse...

Olá,

Venho partilhar a minha situação pois também eu não tive poder de escolha relativamente as proteses PIP.
Mediante esta atrocidade e crime público sinto-me lesada,afectada como todas vos e principalmente discriminada por as ter colocado no sector privado.
Espero que o meu depoimento na TVI,pois estou a pensar o fazer a pedido do meu advogado nos possa ajudar a resolver a remoção e substituição sem encargos pois os danos psicológicos ninguém os paga.
Temos que nos fazer ouvir e lutar pelos nossos direitos e responsabilizar quem tem culpa..não nos pudemos contentar com a remoção dos mesmos e isto é se se verificar ruptura portanto estamos a arriscar até a própria vida e na corda bamba até lá.
Contra factos não há argumentos e já está provado que existe uma vitíma mortal e fora todas as outras complicações e sabesse lá quantos mais casos poderão ter ocorrido.
A minha primeira cirurgia foi em 2008 e em 2009 foi submetida de novo a uma segunda cirurgia na qual mais uma vez não me deram poder de escolha pois sempre me foi dito que eram de garantia vitalícia e de grande qualidade paguei todas as despesas menos a do Doutor e isto talvez porque me ter mostrado insatisfeita pois não tinha feito qualquer esforço para ter ocorrido tal situação.
Também eu sinto-me enganada com tudo isto, muito lesada pois já estou a caminho da terceira cirurgia.
O meu peito direito pela 3ªvez está a descer e tenho fortes dores, sinto inclusivé pressão e nem a dormir posso estar sem soutien!
Deparo-me agora com as notícias e mais nervosa e preocupada estou..recorri ao Doutor pelo facto de estar novamente com dores ele diz-me para dormir descansada e se quisesse para fazer os exames..caso esteja insatisfeita não podia fazer e para eu se quisesse accionar o seguro dele que é para isso que ele o tem..incrível fiquei passada com tamanha frieza.
Até porque se fosse bom Doutor sendo ele da Ordem dos Médicos era alertar e preocupar-se com as pacientes já desde 2010 pois foi emitido um circular interno da Infarmed a relatar a proibição bem como os "incidentes" e complicações ocorridas.
Enfim espero que consiga com a ajuda dos Media sensibilizar o nosso estado psicológico e apurar culpas afim de pudermos ficar descansadas e não termos encargos porque felizmente eu tenho como resolver a situação mas irei até ao fim para ser reembolsada e para as mulheres que não estão preparadas financeiramente? Vão removê-las e ficar sem proteses? Quem ficará bem com esta situação? Ficar com as protéses e viver em constante pânico e medo até elas se deteriorar?
Não pode ser espero ter o vosso apoio pois nunca me expos, tenho imensa vergonha..mas uma vez que tenho conhecimentos e também eu sou uma vítima deste crime irei ao máximo lutar por esta causa para nos fazermos ouvir!
Caso queiram me contactar deixo o meu email eri_yamagata@hotmail.com

Anónimo disse...

ola a todas queria fazer uma sugestao a todas as mulheres com pip: criar um mail, um blog qualquer coisa para partilharmos umas com as outras sem ser em anonimato. ja vi no facebook varios grupos mas nao aderi pelo facto dos meus amigos ficarem a saber:( é complicado!nao quero ficar assim tao exposta. por favor moderadora do blog nao quer criar um blog ou página so para assuntos relacionados com as proteses pip? era uma ajuda para todas. acho que me compreenderam. bjs

Anónimo disse...

ola,
Eu coloquei em 2009 na clinica Sanfil Proteses PIP, com o escandalo das proteses não aguentei e dia 12/01 fui fazer a minha segunda operação.
Sinto-me mt mais aliviada sabendo que já não as tenho.
A operação correu mt bem e a recuperação sem dores, excelente :)
como em todos os PAISES deviamo-nos juntar e lutar pelos nossos direitos pois nem todas as pessoas tem a possibilidade de pagar uma 2º operação:(
beijinhos

cristina disse...

Cristina
Olá , venho aqui tb deixar o meu testemunho e indignação , coloquei implantes mamarios em 2010 , pois não me sentia bem com o meu corpo ,depois de muito me têr informado sobre clinicas e médicos (e de têr feito um mealheiro para tal ) escolhi a clinica Sanfil em coimbra , fui atendida por um médico credênciado na ordem dos médicos , esclareceu-me todas as duvidas , uma das quais sobre as próteses ( qualidade , durabilidade e garantia )disse-me que eram de muito boa qualidade e eram vitalicias , avancei para a operação correu tudo bem até á 1 ano a trás que constatei que as ditas proteses PIP são um atentado á saude de quem as tem ,contatei o meu médico a expôr o problema ao qual me disse para não me preocupar porque com qualquer protese podia acontecer o mesmo problema , quero tambem salientar que em nenhuma vez me foi dado a escolher sobre marca ou preço de qualquer protese tendo-me sido colocadas as que o médico bem entendeu . Neste momento ando a realizar exames por minha autoria
já constataram um nodulo num dos peitos e neste momento não sei o que hei-de fazer visto que neste pais a culpa morre sempre solteira , os médicos vão-se encobrir uns aos outros e neste momento não tenho condições financeiras para as retirar e vivo dias de grande angustia.

monica disse...

OLá Cristina..tem facebook? Adiciono-me para falar consigo eu fui a Tvi mesmo para dar voz a todas nós! O seu caso ainda é pior pois já estavam proibidas apartir de 2010! Mónica Ferreira ou então meu email eri_yamagata@hotmail.com ou monicar.ferreira@hotmail.com,beijinhosss e muita força*
TEMOS QUE ALERTAR TODAS AS MULHERES QUE TEM IMPLANTES POIS ACREDITO QUE HAJAM MUITAS MAIS QUE 2000 MULHERES.

Purple Butterfly disse...

Olá meninas,

Depois de ter tido conhecimento de todos estes casos terríveis sobre mulheres que têm próteses PIP, criei esta petição pública:

http://www.peticaopublica.com/?pi=PurpBut

Assinem e divulguem pelos vossos contactos!!

Pedi aconselhamento a um advogado (Dr. Luís Rocha Ferreira) e na opinião deste, quantas mais pessoas apoiarem esta causa mais hipóteses temos de conseguir que haja uma responsabilização por esta situação.

Se quiserem deixar o vosso contacto ou pedir mais informação, enviem e-mail para o endereço que criei: protesespip@gmail.com

Juntas vamos conseguir!!

Boa sorte a todas
Bjs

Anónimo disse...

Boa tarde,

O meu testemunho poderia ser extremamente longo, dada a diversidade de ocorrências pelas que passei. Vou tentar abreviar.

Fiz a minha 1ª mamoplastia de aumento na clínica Sanfil, com o Dr. Celso Cruzeiro em Setembro de 2009. Desde o início foi um pesadelo. As próteses foram colocadas por baixo do músculo, as dores eram insuportáveis. Pior: no meu peito direito aconteceu uma contratura (o tal 'efeito cápsula') e o esquerdo infeccionou no local da incisão. Fui acompanhada até Janeiro de 2010 pelo Dr. Celso Cruzeiro que sempre referiu que as coisas resolviam-se por si próprias. Até que em Março, o Dr. referiu que teria que fazer uma nova cirurgia porque a anterior havia resultado mal. Nessa altura já se falava das próteses PIP e as minhas eram desta marca. Confrontei o Dr. Celso com esta questão, ao que me respondeu que não tinha motivo para preocupações. A cirurgia de susbstituição aconteceu no dia 12 de Abril de 2010 e, qual não foi o meu espanto quando, nesse mesmo dia, o médico referiu que iria retirar os implantes mas que teria que aguardar uns meses para colocar outros. Até poderia ter entendido isto, não fosse o facto de nas consultas periódicas a que fui nunca me ter sido referido que iria remover num dia e colocar novos implantes meses depois (literalmente passei de um sonho - doloroso, é certo, para um pesadelo).
Após retirar os implantes - que eram PIP, relembro - voltei às consultas no sentido de acompanhar a recuperação e recolocar, o quanto antes, novos próteses. Os meses foram passando e nada mudava. O médico dizia que antes de decorridos 3 meses nada podia ser feito. Ora, em Julho de 2010 (3 meses depois, portanto) confrontei o Dr. Celso e este disse-me que antes de Setembro nada podia fazer. Rebentei! De vez! Saí da clínica arrasada e, quando voltei na semana seguinte, estava disposta a perder as estribeiras. Levei uma amiga que me servisse de testemunha (sendo que esta já havia feito uma mamoplastia de aumento bem sucedida) e, qual não foi o meu espanto quando, sou recebida pelo sócio do Dr. Celso Cruzeiro - que não é médico, mas advogado -, o qual já tinha um cheque preenchido para me devolver o que havia pago pela cirurgia.
Ainda em Julho de 2010 (especificamente no dia 23) fiz a minha cirurgia com o Dr. Ribeirinho Soares. Apenas vou referir o seguinte: trata-se de um profissional com uma vertente humana acima da média, os meus implantes são vitalícios, o peito está lindo (notório mas muito natural)...enfim, estou feliz.
A quem pense colocar/recolocar implantes mamários, sugiro uma consulta com o Dr. Ribeirinho Soares. Quanto ao meu primeiro cirugião, tenho de evitar mais comentários. Relatei a minha história e posso provar o que disse. O intuito deste comentário passa por alertar e proteger interesses mais elevados (como a saúde física e psicológica de futuras pacientes) do que o bom nome e imagem daquele profissional. Acredito, portanto, que não me pode ser assacada qualquer responsabilidade penal, nomeadamente, por ter atentado contra a honra de quem quer que seja.

Anónimo disse...

@ Anónimo de 25Janeiro:
Vivi uma situação semelhante com o médico Celso Cruzeiro, tendo sido já operada 2 vezes (em 3 anos) e preparo-me agora para uma 3a cirurgia para corrigir os erros que ele provocou nas anteriores(cicatriz a atravessar a auréola, mau posicionamento dos implantes, sensação de pressão à direita...), agora com o Dr. Gerardo Millán, que me parece muito competente e, contrariamente ao Celso Cruzeiro, nada displicente relativamente ao meu desconforto e preocupação. Sinto que n fui devidamente esclarecida relativamente a riscos, durabilidade, cuidados a ter, abordagem, tipo e tamanho de prótese, que ele n deu possibilidade de escolha, dizendo sempre com um sorriso que a decisão relativamente as proteses era dele. Agora, com PIP colocadas pela segunda vez, 2x pagas, assim como as cirurgias, terei que fazer nova cirurgia para substituição e correcção dos problemas, com todos os prejuízos que tal implica. Qualquer procedimento cirúrgico obriga à existência de consentimento informado por parte do cliente. em nenhuma das vezes tive que assinar o consentimento e informada, com certeza não fui. Concordo que alguém, que não as clientes, deve assegurar a responsabilidade pela cirurgia de substituição de próteses, ou, em alternativa, o reembolso pelo dinheiro dispendido em cirurgias que envolveram material clínico comprometido dando à cliente a possibilidade de mudar para um cirurgião em quem confie.
Concordo que nos devemos unir, sem duvida :)
bjs

Anónimo disse...

Olá a todas!
Sou mais uma mulher que tinha implantes mamarios PIP, fiz a substituição em Janeiro na clinica de Santa Filomena e paguei os 1100 euros!
É incrivel termos que pagar por algo que não tivemos culpa, e mais chocada fiquei quando no fim da cirurgia pedi ao médico para ver as proteses e para ficar com elas, e ele disse que não podia porque tinham que ir para o INFARMED para análise!!
Como é possivel eu pagar pela cirurgia e o INFARMED ficar com as proteses ?

Enfim, temos mesmos que nos juntar todas...

Anónimo disse...

Ola venho por este meio deixar o meu testemunho e juntar-me a todas as mulheres com implants pip como eu, vou remover no proximo mes e estou disposta a ir ate ao fim para recuperar o valor que irei pagar para alem de todos os receios de nova cirurgia....

Anónimo disse...

Ola venho por este meio deixar o meu testemunho e juntar-me a todas as mulheres com implants pip como eu, vou remover no proximo mes e estou disposta a ir ate ao fim para recuperar o valor que irei pagar para alem de todos os receios de nova cirurgia....

Anónimo disse...

Olá a todas!!!

Estou a pensar fazer um aumento mamário com o Dr. Gerardo Millan, mas como não vejo comentários àcerca dele, será que alguém me poderia ajudar?

Li que a Anónima de 15 de Fevereiro iria fazer a cirurgia com ele. Se já fez, poderia dar-me alguma informação? Correu bem? Gostou dos resultados? Teve muitas dores?

Beijinhos a todas e espero que estejam felizes com o resultado das vossas... :)

carla disse...

Coloquei implantes pip há 4 anos e fiz a sua substituicao agora! Tenho tido uma recuperação super dolorosa! Tenho dores k nao me deixam ter uma vida normal! Fiz a substituicao a 31 de marco e ainda me doem os peitos, principalmente o esquerdo! Já consultei o medico mais k uma vez. Afirma estar tudo bem e justifica as dores como sendo um quadro do pos operatorio k varia de mulher para mulher! Já me lembrei k possa estar a fazer uma rejeicao das proteses! Alguma de vos passou pelo mesmo? Alguém me sabe dizer se a rejeicao da protese ou reacao alérgica pode manifestar se assim???

Anónimo disse...

como saber que protese me colocaram ?
o medico ja nao tem consultorio.
foi no ano 2000...será que ja havia essa marca ? os meios seios passados pouco tempo alteraram ficaram pendurados e com picadas...nunca mais tive dinheiro para ir ao medico resolver melhorar...será que rebentou ? quem me ajuda ? tenho 65 anos...quero tirar...onde ir ?

Anónimo disse...

Gostaria que alguém me respondesse se para se saber qual a marca dos implantes, é preciso pagar consulta (uma vez que é só ir ao ficheiro do paciente). Não vou pagar consulta se só quero saber que marca são os implantes. Como foi convosco?

Obrigada